domingo, 20 de junho de 2010

A DIFICULDADE DAS PROVAS E O ESTUDO NECESSÁRIO

Amigos,





Muito vi e ouvi sobre a última prova, alegando que a mesma foi uma “covardia” ou que os examinadores são uns loucos ou isso e aquilo.



Francamente, sou um “analfabeto” em muitas matérias do Direito, até porque optei em me especializar na área do Direito do Trabalho, então não posso falar muito da prova de outras matérias, se não me limitar ao meu pequeno mundinho trabalhista, que é chamado por muitos de “justiçinha” (sic). Mas..tudo bem....



Mas sempre fui partidário da teoria do pato (que é um animal completo: anda na água, na terra e voa – não fazendo nenhuma delas bem), por isso, não me importo em não saber direito comercial com sabia há anos atrás, ou mesmo em não saber processo penal, pois são áreas que não atuo, nem como docente, tampouco como advogado.



Outra, vi textos e criticas a juízes, advogados, promotores etc., que nunca responderiam àquelas questões.... o que me faz discordar em gênero, número e grau. E posso explicar!



Vou usar de exemplo um grande amigo, que hoje é promotor de justiça em São Paulo e que por diversas vezes, pedi opiniões sobre qualquer tema trabalhista e ele sempre me respondeu de pronto, inclusive indicando o capitulo no “Instituições”.



O motivo? Antes de ser aprovado como Promotor de Justiça ele ESTUDAVA direito do trabalho para fazer concurso da magistratura do trabalho. É com ele que troco idéia quanto a eventuais transações penais (sursis processual) e demissões com justa causa aplicadas e, garanto, ele responderia todas as perguntas de direito penal, processo penal, constitucional e trabalho, com os pés nas costas.



O Exame de Ordem realizado este mês foi como sempre deveria ser: PARA QUEM ESTUDOU MUITO e não para quem “advoga” ou freqüentou cursinhos.



Não estou pregando a necessidade de dificultar ou exigir muito dos candidatos, mas sim o fato que a prova tem que trazer um diferencial para que aqueles aprovados dêem o devido valor à sua aprovação, assim como os reprovados, dêem a necessária importância a estudar de verdade, e não apenas freqüentar salas de aulas em faculdades ou cursinhos.



Nos textos que li por aí, diziam que muitos advogados não seriam aprovados neste exame e qualquer juiz não responderia a tais perguntas. Besteira!



Quando eu fui aprovado no Exame de Ordem a dificuldade para mim foi na mesma proporção. Havia estágio da OAB na faculdade que valia ponto para os exames e estes estágios aconteciam aos sábados, das 8h00 às 16h00. Ué, mas e o estágio durante a semana? Estes na valiam nada para a prova!



Quando fui aprovado não existia internet, não existia curso telepresencial, não existia audiolivros. Éramos obrigados a estudar com livros pesados, papeis e mais papeis, viajar até São Paulo para ter aulas com grandes professores, em um curso famoso da Liberdade.



Então, pergunto: “antigamente” era mais fácil?



Na graduação vejo alunos em dias de provas, que nunca comparecem.......e que quando descobrem que foram reprovados por faltas (faço chamada) me procuram. Nos cursinhos aos sábados vejo alunos que assistem a duas aulas e vão para o bar da frente, lá tá cheio de menina e cerveja gelada. Muito melhor do que saber de efeito extensivo devolutivo em profundidade do recurso ordinário.



Uma ex-aluna me ligou e perguntou: “Ale, naquela questão da solidariedade a resposta é a da Sumula 128 né?”



Este é o tipo de aluno que gosto de ver e este é o tipo de candidato que a Ordem dos Advogados quer ver aprovado, com toda a matéria na ponta da língua, e sabendo do que falava.



Enfim, não quero dizer que a prova foi fácil. Pelo contrário, a prova foi muito boa para quem estudou de verdade e muito difícil para quem não estudou o necessário.



Precisamos dar valor ao Exame de Ordem e muito mais, àqueles que são aprovados no exame. Admiramos todos que são aprovados em concursos públicos para o exercício de funções públicas, por que não admirar os colegas aprovados no Exame de Ordem?



Por que, mais uma vez, tentar menosprezar a própria carreira que almejam? Por que pensar que todas têm que ser fáceis? Por que não nos orgulhar, ainda mais, de sermos advogados aprovados em um dos mais criteriosos exames?



Peço a todos que estão se perguntando o “por que” de tudo isso .... que parem de falar sozinho e voltem a estudar! Parem de se preocupar com os médicos, com os dentistas, com os veterinários etc.



ESTUDEM E SEJAM APROVADOS NESTE EXAME LOGO!!!



Eu me orgulho de vocês e sempre vou me orgulhar de fazer parte desta luta!



Bjs no coração de todos! Contem comigo SEMPRE!!!



Alexandre

7 comentários:

  1. Leia matéria em meu blog sobre as 10 principais causas do fracasso da educação do Município de Fortaleza/CE. SE GOSTAR DIVULGUE, SE QUISER PODE PUBLICAR. Talvez a realidade daqui seja igual a do seu Município. Acessar através de:

    www.valdecyalves.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Pra variar, mais uma vez, o professorzinho medíocre falando bobagem e defendendo seus interesses, porque ganha muito com muitos alunos reprovados na OAB. Vai ter mais alunos pagando horrores de dinheiro no seu curso preparatório.

    Grande falso moralista!

    Vou estudar pra 2ª fase. Infelizmente fiz o curso de direito trabalhando 8 horas por dia, já sou concursado, e continuo trabalhando todas essas horas. Minha dificuldade é sempre na 2ª fase e o tempo, sempre me ajuda reprovar. Só estou insistindo nessa OAB porque quero tentar concurso pra MPT, somente, porque já trabalho no TRT do meu estado, tenho estabilidade, e estou tranquilo. Não preciso persuadir ninguém para frequentar esses cursinhos preparatórios com professores medíocres como você. Só estou agora em cursinho pra 2ª fase!

    E quer saber, antes a OAB era realmente muito fácil. Duvido muito que você conseguisse aprovação nessa época. Depois de 2008, a prova mudou muito. O foco da OAB agora tornou-se comercial. Essa é a grande diferença. Mantenha uma postura mais digna e menos hipócrita. Quer continuar tendo seu rebanho de alunos? tenha! Mas sem hipocrisia.

    ResponderExcluir
  3. o amigo leitor do blog mais uma vez me ataca...

    Msmo assim, obrigado por ser leitor assiduo de nosso blog, obrigado por compartilhar suas frustraçoes quanto ao Exame, pois muitos outros candidatos vivem o mesmo drama que vc.

    Qt ao fato de achar que viso "arrebanhar" alunos, fique tranquilo, nao preciso disso, aliás nao ganho mais, nem menos com isso, pois o blog eu alimento apenas por prazer, pois minha profissao, mesmo, é a de advogado e muito feliz com ela.

    Obrigado pelas palavras!!! Espero que sua aprovação aconteca logo!! Pois precisamo trabalhar com aquilo que gostamos.

    Um beijo no coração!!

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Leia em meu blog matéria sobre a importância da preservação do patrimônio histórico e concorra R$ 1.000,00 em prêmios. Acessar em: www.valdecyalves.blogspot.com

    (DORAVANTE SÓ SEGUIREI BLOGS QUE ME SEGUIREM - IMPORTANTE SOMARMOS E QUE SE SOMEM A NÓS - FORMANDO UMA VERDADEIRA REDE VIRTUAL - RECIPROCIDADE - SINTONIA)

    ResponderExcluir
  5. Eu queria que os recursos pra dar aval de ação para professores fossem tão rigososos quanto... lembro que eu estava na fila da entrega de inscrição no vestibuilar...Um candidato que estava "duas pessoas"na minha frente ainda não tinha preenchido a referência do curso que queria prestar e o secretário, funcionário da Unesp, que recebia as inscrições disse a ele: "não sabe o que fazer? vai fazer pedagogia!" Aquilo me envergonhou, me revoltou, mas no dia a dia, vejo um bando de incompetentes e desapaixonados pela profissão dentro da sala de aula e o pior: responsabilizando-se por crianças pequenas; área na qual me tornei especialista e pela qual sou apaixonada(inclusive pelas professoras menos favorecidas, admito). Mas é isso aí... Morei por anos em cidades do interior e vejo que isso também acontece na área dos juristas (como são chamados os "ADEVOGADOS" na boca onde eu morava). E eu só digo uma coisa...Tudo me dá medo. Saber que tem professora assim dando aula e saber que tem neguinho que se mata em cursinho só pra passar por essa forte barreira da prova da OAB. Antes não era mais fácil estudar... Mas o material era proveniente de uma fonte mais confiável. Era difícil mas o caminho era aquele...Hoje, com essas milhares de traduções e mastigadores que oferecem esse serviço a quem não degustou suas aprendizagens, as pessoas perderam o foco. E tratando-se de leis... Perder o foco é um crime!

    ResponderExcluir
  6. então na sua opinião a parte trabalhista da prova estava facil e vc tiraria 100 numa prova só de direito trabalhaista, e ainda fala que o promotor estudou muito e sabe de tudo das outras materias, fico triste pois sou mais um na luta para passar na oab, e vem gente falando eu passei de prima la em 1988, o que essa turma não sabe é que não tenho experiecia não sou promotor a decadas estudei 5 anos direito e tenho pensamento juridico, MAS, não decorei nenhum codigo e é isso que a AOB exige decoreba de lei.................. abraços gosto do seu blog, mas não me venha comparar essa prova com as provas de antes de 2000.

    ResponderExcluir